O valor das pessoas

Eu não faço terapia. Nunca fiz. Não digo isso como uma vantagem e por muitas vezes pensei sim que terapia poderia me ajudar a superar certas coisas. E ainda penso. Porém, por enquanto, as aulas de pilates são mais importantes porque fazem bem para o corpo e para a alma. Prioridades.

Costumo dizer que as pessoas so tem o valor que damos a elas. Não sei bem de onde tirei isso, mas certamente não inventei nada. Fato é que me deparo com situações em que apenas essa frase me salva. Que sejam os perrengues de grupo de familia no whatsapp, ou quando penso no mal que algumas pessoas me fazem. Não porque elas tenham a intenção de me fazer algum mal. As vezes elas apenas não me dão a importância que dou a elas. E isso não deveria ser um problema.

São coisas bobas, pequenas, que outras pessoas esquecem. Em mim fica gravado, me impedindo às vezes de dormir. Como a vida não pode parar porque eu estou/sou ansiosa, cabe a mim simplesmente evitar o que me faz mal. Pode parecer mais uma fuga do que enfrentamento do problema, mas para a minha saude mental essa atitude foi crucial.let-this-shit-go

Somente apos muita reflexão cheguei à conclusão de que tudo bem se decepcionar com as pessoas. E tudo bem também elas irem embora da sua vida, terem menos importância, principalmente se tem distância na equação. Perceba, não é uma logica punitiva. Não é somente « poxa, você me fez mal, agora você não significa mais nada para mim ». Longe disso. E’ mais uma reanalise do lugar que as pessoas ocupam na sua vida. Somente apos essa analise foi possivel deixar essas pessoas seguirem, mas ainda assim ter gratidão por quem elas foram para mim um dia. E eu tenho. Nunca gostei de ninguém de graça.

Eu não sei de nada sobre ansiedade. So sei que convivo com ela desde sempre e, estando longe dos meus, precisei fazer algo por mim. Nunca tratei desse assunto de forma séria com ninguém, nem mesmo com o meu marido, que é médico e que ja se deu conta de que às vezes tenho crises de ansiedade, acompanhadas de muita angustia, via de regra ligadas às minhas relações interpessoais (familia e amigos na esmagadora maior parte do tempo) e de como tinha dificuldade em lidar com isso.

Então, esse post não é sobre se curar da ansiedade ou sobre como agir se você vive situações semelhantes. Não tenho competência nenhuma para te aconselhar. Deixo aqui essa frase como uma reflexão mesmo : as pessoas so tem o valor que você mesmo-a atribui a elas. Se alguém me decepcionou, reflito se vale realmente a pena o desgaste de ficar triste por isso. Talvez seja melhor deixar para la mesmo. Claro, nem sempre funciona, mas foi a formula que encontrei para seguir com a vida.

Tem a ver com se destralhar de sentimentos ruins e, na maioria das vezes, também de pessoas que não te acrescentam muito. Que podem vir a acrescentar um dia, porém, mas que no momento presente deixaram de fazer sentido. Por que se martirizar, então? E’ tão melhor usar esse tempo para cultivar o amor de quem te faz bem.  E’ ganhar em qualidade de vida e de quebra ter pessoas especiais ao teu lado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s